Transição



Transition é o tema de uma série de ensaios fotográficos de Lauren Marsolier. As suas paisagens fabricadas questionam os mecanismos de construção psicológica da imagem do lugar. É um exercício de abstracção parcial ou, pelo menos, de desmaterialização da realidade, filtrada do ruído do real através da percepção e da memória.
São imagens estranhamente reconhecíveis mas dissonantes, compósitos de um mundo de fragmentos cujo sentido só o espectador pode completar. Se o processo tem paralelo com o trabalho de Filip Dujardin e o seu Resampled Space, o resultado é bastante diverso. Onde o fotógrafo belga constrói manifestações de urbanidade artificial – estruturas impossívels, o mundo delapidado – que tendem para o surrealismo, Lauren Marsolier confronta a própria noção de identificabilidade dos espaços.
Assim, tal como o cérebro humano filtra da audição o ruído de fundo, para extrair o que nos interessa ouvir, as suas construções fotográficas são despidas de vida, de poluição, só aparentemente reais, apresentando-nos lugares confusos, desmaterializados e vazios. Via iGNANT.

Sem comentários:

Publicar um comentário