Viajante um



É provável que esta notícia – Humanity escapes the solar system: Voyager 1 signals that it has reached the edge of interstellar space - 11billion miles away – não ocupe lugar de destaque nos telejornais. E trata-se, no entanto, de um dos nossos maiores feitos. Nunca uma construção humana esteve tão longe de casa. A Voyager 1 abeira-se dos limites do sistema solar, atravessando a heliosfera em direcção ao espaço interestelar.

O artigo dá-nos conta de como a pequena sonda, construída e lançada pela NASA em 1977, ainda hoje comunica com a Terra através de um frágil sinal rádio. Entre as suas muitas tarefas, Carl Sagan considerou que seria uma boa ideia captar uma última fotografia do nosso planeta, à passagem de Saturno. Daquela distância a Terra seria apenas um pequeno ponto de luz, indistinto de tantos outros astros que preenchem o horizonte da galáxia.

Um facto conhecido entre os cientistas e os filósofos da Antiguidade – que habitamos um pequeno ponto no vasto Cosmos – era agora visível pela primeira vez aos olhos da Humanidade. A imagem, captada em 1990, ficará para sempre conhecida como The Pale Blue Dot.
A Voyager 1 prossegue a sua viagem, cumprida a sua missão principal de alcançar o limite do nosso sistema. Até quando falará connosco, navegando o profundo vazio nas ondas do vento interestelar?…

Sem comentários:

Publicar um comentário