Ideias frescas



Moinhos eólicos de segunda geração, via Reluct.

10 comentários:

  1. São esculturas na paisagem, a lembrar os mobiles de Calder.

    ResponderEliminar
  2. São bem mais agradáveis visualmente e com menos impacto do que os actuais moinhos e aproveitam bem melhor as correntes. Mas para nós a grande riqueza era mesmo aproveitar a força das marés em que temos mais potencialidades energéticas.

    ResponderEliminar
  3. novas paisagens sonhadas...
    (...para quando uma utilização a sério de energias renováveis em Portugal?)
    :)

    p.s. os "senhores" do nuclear andam aí...

    ResponderEliminar
  4. Muitos parabéns pelo site.. uma excelente referência em termos de arquitectura! Sou estudante de arquictecura e deram-me este link há relativamente pouco tempo. Mas sem dúvida que terá a minha visita diária. Fantástica lista de links.

    ResponderEliminar
  5. Nunca percebi o porquê dessa aversão às estações de moinhos convencionais.
    Conseguem, na minha opinião, criar paisagens humanizadas muito interessantes e bonitas.
    Pois estes moinhos eólicos de segunda geraçao parecem-me bem mais agressivos além de que tentam imitar qualquer coisa que me parece ser um primo afastado de uma árvore.
    Não percebo o fascínio por esta peça tão desinteressante.

    ResponderEliminar
  6. ...Continuo a achar mais bonitos os moinhos tradicionais, que adoro por me lembrarem esculturas futuristas. Mas como peça de design, esta nova versão não me parece mal.

    Agora concordo com o facto de que maior potencial temos nas marés e ninguém as utiliza.

    ResponderEliminar
  7. para quando a notificação de que utilizaste a minha imagen? se por mais nada, agradece a capacidade intelectual que te faz parecer vivo....

    ResponderEliminar