Ver



Podemos saber o nome de um pássaro em todas as línguas do mundo, mas no fim, não sabermos nada sobre esse pássaro... Por isso, vamos olhar para o pássaro e ver o que ele está a fazer – é isso que interessa. Eu aprendi bem cedo a diferença entre saber o nome de algo e saber algo.

Este blog começou há três anos. O primeiro texto: uma citação de Richard Feynman - cientista genial mas acima de tudo um desconstrutor de verdades feitas.

O essencial, de facto, é saber ver. E ver não é fácil num mundo em que a informação se vai tornando numa nova forma de poluição. Difícil, também, é ver no caleidoscópio exponencial da web. Aqui, saber ver é uma arte.
Mas mais do que isso, difícil é ver para lá do filtro distorcido da nossa subjectividade. Para lá do que nos julgamos ser, dos nossos princípios, preconceitos, da construção em que nos tornámos. Daquela bagagem de saber que, tomando por certa, nos conforta.

Suponho que cada um tenha uma razão diferente para manter um blog. Eu vim cá para dentro para pensar.
A mim, pareceu-me a plataforma perfeita para registar ideias, um think tank, mochila mental, lugar para a minha bagagem pessoal onde guardar mil e uma referências, textos, imagens, colagens. Benvindos à cena blog, o fórum público para a expressão individual, acessível e gratuito.



Três anos na web é uma vida. Muita coisa mudou e não apenas no aspecto exterior. O registo também foi sofrendo alguma evolução. Quem não me conhece talvez ache este espaço demasiado pessoal. Os que me conhecem dizem-me o contrário. Conclusão: sim, é pessoal. De uma certa maneira.
Na melhor das hipóteses mantém uma certa familiaridade com quem lê. Não tento fazê-lo de uma forma ou de outra – acaba por ser assim por razões bem mais particulares, baseado no estado de espírito, nas coisas que estou a fazer, nas ideias que me preenchem a mente.
Se alguma razão existe, tento fazer o blog como aqueles que gosto de ler. Gosto pouco de blogs que não tenham uma abordagem pessoal, páginas de divulgação seca que parecem escritas por bots. No lado oposto, desgosto igualmente de blogs fúteis cheios de pequenos pensamentos sobre tudo e sobre nada.
Acima de tudo um blog deve ter uma razão de ser. Por aqui são recorrentes dois ou três temas mas a abordagem tende a ser informal. De resto, também não estou aqui para competir com as revistas de arquitectura. It’s all Zaha, all the time - isso não. Arquitectura e urbanismo sim, mas também filmes, viagens, design, jogos e outras coisas agradavelmente geeks. Ah, e os animais também!

Outro problema é o tom. Não me surpreendem algumas críticas pontuais que por vezes se vão fazendo. Numa terra onde a cidadania não é muito acarinhada, é vulgar confundir assertividade com amiguismo. Sim, é difícil ser assertivo quando vivemos rodeados entre o cinismo e o desânimo, quando não a má fé. Aqui vos digo que a assertividade é uma causa.
Repugna-me essa blogosfera sabuja onde se saltita em bicos de pés dizendo bem uns dos outros e jogando às palminhas entre piscadelas de olho.
Mas igualmente me repugnam os tiques académicos, o linguajar de estilo e aqueles que por tudo e por nada redigem um manifesto. Não tenho paciência para quem vive na necessidade de se emancipar perante o mundo que tanto os oprime, inevitavelmente resfolegando em críticas destrutivas a tudo o que os rodeia.

Mais importante do que dizer que este não é estritamente um blog de arquitectura, é esclarecer que este não é um blog de crítica de arquitectura. Muito menos o faço para arquitectos ou estudantes da profissão – que serão, entenda-se, sempre benvindos. Mas se o faço para mim é também a pensar naqueles que, não sendo da área, estejam despertos a ser tocados pela sua grandeza. Se esta página for capaz de sensibilizar os que por aqui passam para a beleza da arquitectura e daquilo que ela pode fazer melhorar a vida das pessoas, dar-me-ei por feliz.

A Barriga De Um Arquitecto entra assim no seu quarto ano de existência. É um ano para que parto com alguma expectativa. Falta ambição à nossa blogosfera e por vezes é bom assumi-la. Espero fazer evoluir o blog, no registo e no suporte, mas também nos conteúdos. As mudanças surgirão de forma lenta mas, assim espero, segura. É um percurso que me merece muita reflexão. Mais arquitectura? Sim. Mas como fazê-lo sem cair para um registo desnecessariamente institucional; como manter a familiaridade do discurso para alcançar mais interesse e, quem sabe, uma discussão mais aberta?
São dúvidas que me acompanham neste aniversário de blog, dúvidas que me motivam a continuar e a tentar crescer. Porque neste mundo incerto, as dúvidas me parecem sempre mais férteis do que muitas certezas.

23 comentários:

  1. Três anos online e sempre a cativar, é sem dúvida um motivo de celebração. O meu gosto pessoal por este blog vai para além da ainda recente carreira de arquitecto e tudo o que lhe está inerente, vai de encontro à visão de alguns assuntos contemporâneos e diários que me interessam de sobremaneira e à maneira de comunicar-los. Desejo que tenhas um futuro fantástico a informar os mais novos - no mundo da web - e a continuar a captivar os mais velhos. Venham de lá muitos anos de A B D 1 A...Felicidades e Força.
    Luis Lopes

    ResponderEliminar
  2. Só cheguei a este blog à pouco tempo e através de uma referência numa página de outro blog, mas a realidade é que se tornou imprescindível. Gosto muito da forma como escreve e tenho encontrado aqui tantas referências interessantes que só por isso já merecia uns grandes parabéns!
    Como è afinal de contas um aniversário espero que conte muitos e muitos anos de vida sempre com a escrita interessante que leva! Felicidades

    ResponderEliminar
  3. Parabéns Daniel. Sempre, sempre, todos os dias um fiel leitor do teu excelente blog.

    ResponderEliminar
  4. Daniel muito obrigado pelo seu blog. Eu entre tantos brasileiros que diariamente entramos para verificar novidades e so temos a agradecer. Gosto muito dessa maneira luso de escrever e acho uma delícia escrever em português com europeus. O blog é sempre surpreendente com a variedade de assuntos...

    ResponderEliminar
  5. Três anos que têm valido a pena, sem dúvida. Um abraço.

    ResponderEliminar
  6. Sou leitor assíduo d' A Barriga de um Arquitecto. A primeira vez que cá entrei foi certamente por ter tropeçado no nome de um filme do qual gostei muito. O conteúdo convenceu-me à primeira e nunca mais deixei de cá vir.
    Parabéns pelo aniversário.
    Um abraço.

    ResponderEliminar
  7. Daniel,
    Felicidades por estes três anos de referência.

    Um abraço do postHABITAT.

    ResponderEliminar
  8. parabéns pelo aniversário! Permaneço fiel à [barriga de um arquitecto] que continua a cativar-me, ano após ano, palavra a palavra, conteúdo a conteúdo!
    felicidades!*

    ResponderEliminar
  9. E como nem os do métier sabem de tudo, eu, arquitecto (e urbanista..) venho aqui diária e invariavelmente para saciar esta paixão que nos envolve a ambos tal como, sem falsas modéstia nem elogios de circunstância saberás que venho para aprender, para saber, para lembrar, para lamber, para recordar, para descobrir...
    Por tudo isto, pelo demais e pelo que esteja por vir,
    O-B-R-I-G-A-D-O!

    ResponderEliminar
  10. muitos parabéns por um trabalho sempre constante em qualidade. Este blog é referência para muitos leitores (arquitectos ou não) e, certamente, uma referência para mim, que o visito regularmente.

    ResponderEliminar
  11. Obrigado por mais um ano. Para mim continua a ser o blogue do arquitecto que escreve mesmo bem.
    E mais um texto excelente, criando algumas expectativas para o próximo ano. Sei que será melhor, mas subtilmente.

    ResponderEliminar
  12. Parabéns, Daniel! Conta muitos porque continua a ser um prazer aprender aqui.

    ResponderEliminar
  13. Muitos parabéns, Daniel!
    Que continues ainda por longos anos a dar-nos o prazer de ler os teus pensamentos aqui no blog!
    Bjs,
    X.

    ResponderEliminar
  14. Para já os meus parabéns por este aniversário do seu blog e aguardo por mais um ano de bons artigos, bem ilustrados e com interesse.
    Este é um blog bem escrito, que não descura o design nem a ilustração dos artigos com boas fotografias. Aguardo as novidades com expectativa.

    ResponderEliminar
  15. O meu agradecimento a todos pelas palavras simpáticas que aqui deixaram, bem como a Renata Palhares, Cecília Monte e Catarina Pardal Monteiro pelos emails que me endereçaram. Um obrigado especial ao Fernando Guerra pela contribuição generosa e, acima de tudo, pela amizade com que sempre me tem acompanhado.
    Voltem sempre!

    ResponderEliminar
  16. E que continue a ser o espaço onde diariamente me vou conseguindo reencontrar com esse fenomeno estranho chamado arquitectura, que teima em me conquistar.
    Um grande abraço Daniel, a partir daqui só melhora...

    ResponderEliminar
  17. Parabéns Daniel. É sempre bom vir a este blog aprender e reconhecer.
    Abraços
    Tiago Mota Saraiva

    ResponderEliminar
  18. Muitos parabéns Daniel. Grande blog. Muitas janelas abertas, muita circulação de ar, muita luz. Arquitectura (e não só) de grande qualidade.

    Parabéns

    Carlos Roque

    ResponderEliminar
  19. Conheci "A Barriga" há quase um ano, quando me iniciei na blogosfera. Desde então tornou-se um dos meus favoritos, um companheiro permanente que passou a fazer parte da minha vida. De vez em quando entro nos arquivos mais antigos "à procura do tempo perdido" e recolho sempre, sempre, a mesma impressão: único e imprescindível.
    Parabéns Daniel!
    Abraços.

    ResponderEliminar
  20. Daniel,
    um grande abraço do verdete para celebrar os três anos do blog.
    Parabéns e obrigado!

    ResponderEliminar
  21. tres anos! vou vindo sempre... um dos meus favoritos!

    ResponderEliminar
  22. Apesar de não ter andado por aqui tanto como noutros tempos de mais vagar, apesar de nem sempre concordar, apesar de... gosto. Gosto da aparência cuidada (ai que inveja), gosto de ver a arquitectura e a cidade como temas de reflexão permanente. Boa.

    ResponderEliminar