Bilhete postal







A história dos incêndios também se conta nas casas devolutas, nas hortas abandonadas, nos abrigos fechados do pasto e dos animais, nas ruínas dos moinhos de água. A culpa, votaram na televisão, é dos donos dos terrenos que não limpam as florestas. Onde estão eles? Não passaram tantas décadas assim. Por aí andavam percorrendo esses montes, por trilhos hoje invadidos de silvas, recolhendo os restos da mata a que hoje, lá longe da cidade, chamamos de resíduos. Para aquecer as habitações nas noites frias, cozinhar os alimentos, fazer as camas dos animais que depois serviriam de adubo aos solos de cultivo. O que mudou, então, foi todo um modo de nos relacionarmos com o território. Esta gente não existe mais e aqueles gestos não teriam hoje qualquer sentido. O problema dos incêndios é assim, em grande medida, o problema da nossa relação com o mundo.

Sem comentários:

Publicar um comentário