[thom mayne, architect]

Quarta-feira

O pai da Morphosis foi premiado com o Pritzker de 2005.

Prémio Pritzker 2005

Pritzker Mediakit em formato PDF

Pritzker Mediakit em formato HTML

Factsheet sobre Thom Mayne

Website da firma Morphosis


Adenda:

Pela mão do Planeta Reboque fui descobrir este interessante texto do A Daily Dose Of Architecture: Being Mayne.
John Hill relembra o impacto que a apresentação dos projectos da Morphosis teve na afirmação da própria firma e da influência que tiveram no mundo da arquitectura. A fusão de informação em layers múltiplas com plantas, cortes, imagens de modelo, fotografias, as maquetes esqueléticas insinuando os espaços para lá do corpo material acentuavam a expressão da própria arquitectura, rompendo com formas mais assépticas de comunicação visual. Recordo bem as imagens do Los Angeles Arts Park, publicadas na El Croquis, como uma lufada de ar fresco que nos deixou a todos fascinados. O desenho contaminado pela intenção e pela forma, como uma extensão da pose da arquitectura (ou porque não dizê-lo, do arquitecto).
A conclusão de Hill é interessante: será a Morphosis uma influência tão determinante hoje como foi há dez ou quinze anos no meio universitário. Possivelmente não. Mas nesta realidade em que a arquitectura é por vezes um meio para maximizar os lucros da produção de cidade, a atitude da firma de Mayne continua na vanguarda da resistência a uma instrumentalização da profissão. Uma arquitectura que se afirma como agente de uma nova filosofia de desenho no contexto urbano, assumindo o impulso para desempenhar um papel consequente e uma reacção aos espaços amorfos e insignificantes que nos vão rodeando – criando tensões e inter-relações, e com elas, criando espaço e uma vigorosa urbanidade.

Sem comentários:

Publicar um comentário