O dragão a viver na garagem

É uma história que contava Carl Sagan. Um homem vai ter com outro que é cientista e diz-lhe que tem um dragão a viver na garagem. O cientista diz: “bom, vamos então à garagem ver isso”.
Chegam ao local, o dono da casa abre o portão da garagem, que parece vazia.

Cientista: Então? Não vejo nada. Não há cá dragão nenhum!
Dono: Hmm. Ah, mas é que o dragão é invisível.
Cientista: Invisível? Então, mas repara, o chão está cheio de pó. Se ele andasse por aí nós víamos as marcas dele no chão. As pegadas.
Dono: Mas é que este dragão vôa!
Cientista: Isso é mais complicado. Então espera, vou buscar um sensor de calor para detectar o bicho.
Fazem a experiência e o dragão não aparece no sensor de calor.
Dono: Bem, este dragão não emite calor.
Cientista: Muito bem, mas ainda tenho uma ideia, pegamos em spray de tinta e atiramos para o ar, e vamos conseguir pintá-lo.
Vai buscar spray de tinta e pulveriza o espaço todo, mas não descobre nada.
Cientista: Bem, como vês, não está cá dragão nenhum.
Dono: Ah, mas é que este dragão é incorpóreo.

Nesta altura, perante um dragão invisível, que vôa, que não emite calor e é incorpóreo, o cientista diz ao homem que não só não tem nenhum dragão como está completamente pírulas.
Claro que, em boa verdade científica, ele apenas demonstrou que não tem meios para detectar a presença física de um dragão voador invisível incorpóreo que não emite calor dentro da garagem, o que o faz deduzir com um grau de certeza razoável a sua inexistência. Portanto, vendo bem as coisas, se existe ou não um dragão talvez seja uma questão de fé.

6 comentários:

  1. Amigo Daniel
    Fala-te um Cristão empedernido.
    Mas creio que mesmo para se acreditar que o Mundo é compreensivel precisamos de Fé.
    Einstein pensava qualquer coisa assim.

    Por vezes o que nos falta é de construir os meios que permitem identificar os dragões invisíveis.
    Aconteceu algo do género com a história da Fisica Atómica.
    Creio que nunca ninguém viu os átomos, mas todos os indicadores atestam que existem.

    Confiemos na nossa Fé e Fantasia.
    Desconfiemos das nossas percepções a priori.
    Não será também Ciencia?

    Um abraço

    PS: Estamos de acordo quanto à parvoice Criacionista.

    ResponderEliminar
  2. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  3. ou da capacidade dos meios técnicos!!
    ;)

    ResponderEliminar
  4. Nada de especial! Na realidade só se pode ter a certeza duma coisa depois de provada. A fé só serve para nos dar alento a procurar uma prova irrefutável.
    Um cientista não se baseia em fezadas...
    Por outro lado, o facto de não se ter encontrado o dragão, não prova que ele não existe... nem se pode dizer que existe... mesmo que seja só uma fé. Há que reconhecer que nada se pode concluir, em certos casos!

    ResponderEliminar
  5. apenas se conclui da insuficiência de meios. (obviamente que o dono da garagem devia saber dizer como "detectou" o dragão...)
    Caro cbs, os átomos vêem-se mas não com os olhos... os olhos são detectores sem a precisão necessária para essa escala. Actualmente já se "viram" átomos e partículas ainda mais pequeninas com os detectores apropriados.
    A fantasia é um exercício de imaginação estimulante para o cérebro. A fé já é outra coisa diferente, é prudente desconfiar dela também.
    Cumprimentos

    ResponderEliminar